O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama, formando um tumor. Há vários tipos de câncer de mama e, por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. É o segundo tipo mais frequente em todas as regiões brasileiras (o primeiro é o câncer de pele não melanoma). De acordo com a estimativa de incidência do Instituto Nacional de Câncer, do Ministério da Saúde, divulgada em fevereiro, o Brasil deve registrar 66.280 novos casos de câncer de mama por ano no triênio 2020-2022.

Apesar de ser algo raro, o câncer de mama pode afetar também os homens. Entre eles, representa somente 1% dos casos da doença; em relação às mulheres, chega a 25%.

A principal manifestação da doença é o nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor. Ele está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher. Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja também é sintoma, assim como alterações no mamilo. A orientação é que as mulheres fiquem atentas, também, se aparecer algum nódulo na axila ou no pescoço e a qualquer saída de líquido anormal das mamas. Vale lembrar que grande parte dos casos são assintomáticos.

Iniciado nos Estados Unidos na década de 1990, o movimento Outubro Rosa promove uma intensa campanha de prevenção contra o câncer de mama. No Brasil, entidades realizam campanhas de conscientização, debates e mutirões ofertando exames gratuitos anualmente, em ambulatórios, hospitais, universidades, carretas, estações itinerantes e até estádios de futebol.

O Instituto Solidário e a Direção do Complexo Estadual de Saúde da Penha realizaram o “Bom dia, Diretor!” – Especial Outubro Rosa. Na ocasião, o encontro foi carinhosamente chamado de “Bom dia, Diretora!”, com a reunião de colaboradoras e colaboradores do Hospital Estadual Getúlio Vargas e UPA Penha 24h e apresentação de palestra pela Diretora Técnica, Dra. Flávia Nobre.

Ainda não existem formas totalmente efetivas de prevenção do câncer de mama, mas ter hábitos saudáveis sempre colaboram para a manutenção da saúde. A melhor forma de prevenção da doença é ter uma alimentação saudável, rica em frutas, verduras e legumes, e pobre em gordura animal; praticar exercício físico regularmente, evitar a obesidade, o tabagismo e o álcool. Pacientes que têm histórico familiar, em primeiro grau, com câncer de mama, devem dar ainda mais atenção a esses cuidados. A prevenção passa pelo autoexame de mama e a orientação de um profissional da saúde.

Então fica o recado de sempre: se toca, mulher! São poucos segundos que podem salvar a sua vida.