O Núcleo de Educação Permanente – NEP/RH do Complexo Estadual de Saúde da Penha realizou nos dias 27 e 28 de abril, para os profissionais administrativos, o Treinamento sobre o manuseio correto da máscara N95/PFF2, ministrado pelos colaboradores do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do Hospital Estadual Getúlio Vargas.

A máscara conhecida como N95 refere-se a uma classificação de filtro para aerossóis adotada nos EUA e equivale, no Brasil, à PFF2 ou ao EPR do tipo peça semifacial com filtro P2, pois ambos apresentam o mesmo nível de proteção. A PFF2 é usada também para proteção contra outros materiais particulados, como poeiras, névoas e fumos, encontrados nos ambientes de trabalho das áreas agrícola e industrial. A PFF2 é recomendada tanto para proteção contra aerossóis contendo agentes biológicos quanto para proteção contra outros materiais particulados porque a captura, pelo filtro da PFF2, tanto de partículas não biológicas (poeiras, névoas e fumos) como de microrganismos (esféricos, cilíndricos, filamentosos) na forma de aerossóis depende dos parâmetros físicos da partícula (tamanho e forma), não sendo importante se a mesma é “viva” ou não.

O auditório do HEGV recebeu 140 colaboradores, em três turmas, cada dia. Os participantes receberam informações sobre como as máscaras devem ser manuseadas e orientações em relação à higienização antes, durante e depois do uso.

Medidas de prevenção

Lavar as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) regularmente com água e sabão ou utilizar o álcool em gel, que também pode ser usado para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, entre outros; fazer a limpeza doméstica com água sanitária para desinfetar superfícies; usar lenço descartável para higiene nasal são algumas medidas importantes de prevenção, além de cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar e evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.